expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Família Porto, Outubro de 2015




Albânia, Outubro de 2015

A seara é grande! 
Vem e vê que os campos estão brancos, prontos para a colheita! 

A Albânia é o país da Europa com a maioria da população sendo “mm”. Portanto, este é o ponto de maior necessidade em nosso trabalho. Alcançar os que não crêem em Jesus Cristo e confessam isto em todo o tempo. Quando levamos a Palavra da Salvação para as famílias, Deus tem nos dado oportunidade e ousadia para dizer que a salvação do homem está somente em Jesus Cristo, o filho de Deus. Nossa vida aqui na Albânia tem sido para proclamar que o Reino de Deus está perto e para isso trabalhamos com esporte, música, encontros infantis, pregação, artes manuais e assistência social.



No projeto com esportes atendemos de segunda a sexta-feira 120 meninos e meninas com idades entre 6 a 16 anos. A maioria deles são “mm”, mas o fato de sermos brasileiros, as famílias têm permitido eles estarem conosco e assinam um termo dizendo que sabem que a escola é cristã e que oramos em nome de Jesus, antes e ao final dos treinos. No período do jejum do Ramadan, alguns alunos passam mal e aproveitamos estas oportunidades para levá-los ao conhecimento da Verdade que é Cristo e que pode libertá-los de todo o jugo que as práticas religiosas trazem pra a vida deles.

Servimos em duas igrejas. Uma já está estabelecida e tem cerca de 50 membros e fica no Institut. O Pastor é um “mm” convertido e que nos recebeu com muito carinho. Ajudamos em alguns ministérios na Igreja. Agora iremos implantar as estratégias do Ministério Infantil que fazíamos no Brasil e temos organizado o trabalho de assistência social, que é uma área de grande necessidade na Albânia. As famílias não têm emprego, nem luz, nem comida, e há uma grande quantidade que não tem água em casa. Isto é uma cruel realidade aqui na Albânia. Para ter água e luz tem que pagar caro. Visto que não têm emprego, também não tem água e luz.

A outra igreja fica em Bathore. Ainda não temos membros batizados, mas temos algumas mulheres, jovens e crianças que vem aos cultos regularmente. Esta região é mais fechada para o Evangelho, porque a população vem do Norte e são de maioria extremistas “mm”. Aqui, as mulheres que frequentam a igreja são viúvas ou os maridos abandonaram. As que têm marido precisam de permissão para vir.  No domingo temos o culto no Institut pela manhã, almoçamos e vamos para Bathore, para iniciar o discipulado às três horas e o culto às quatro horas, pois somente assim, algumas jovens podem vir.


Durante a semana realizamos visitas em algumas casas e entregamos alimentos para as famílias da igreja e outras mais que temos acesso. Estas cestas vêm de um empresário italiano que doa periodicamente para a igreja. 

Há muita coisa a ser feita, mas somos poucos trabalhadores. Roguem ao Senhor da Seara que envie mais trabalhadores hábeis e cheios do Espirito Santo para nos ajudar.

Precisamos plantar um grupo artístico com teatro e coreografia para os adolescentes e crianças. Também levantar recursos para trabalharmos com meninas romes e gipsis, num projeto para ajudá-las na autoestima e alfabetização. Porque a maioria não vai à escola por causa dos maus tratos, por terem a cor da pele morena. A Albânia é um país extremamente racista. Segundo alguns deles dizem, somente são aceitáveis pessoas da raça ariana. 






“Mas dou graças a Deus porque, unidos com Cristo, somos sempre conduzidos por Deus como prisioneiros no desfile de vitória de Cristo. Como um perfume que se espalha por todos os lugares, somos usados por Deus para que Cristo seja conhecido por todas as pessoas. Porque somos como o cheiro suave do sacrifício que Cristo oferece a Deus, cheiro que se espalha entre os que estão sendo salvos e os que estão se perdendo. Para os que estão se perdendo, é um mau cheiro que mata; mas, para os que estão sendo salvos, é um perfume muito agradável que dá vida. Então, quem é capaz de realizar um trabalho como esse? Nós não somos como muitas pessoas que entregam a mensagem de Deus como se estivessem fazendo um negócio qualquer. Pelo contrário, foi Deus quem nos enviou, e por isso anunciamos a sua mensagem com sinceridade na presença dele, como mensageiros de Cristo.”
2 Coríntios 2:14-17 NTLH

Família Porto
Pastor Daniel, Tia Shirley
Danilo Miguel e Davi Mateus (quase chegando!)





Albânia, Setembro de 2015

Albânia, Setembro de 2015
Família Porto


Albânia, setembro de 2015.

Queridos,

O Senhor é bom e Sua misericórdia dura para sempre! Ele cuida de nós. Aleluia! Ele também cuida de vocês. Vamos testemunhar isso?

Missão transcultural não é suprir as necessidades de um país ou uma região, é obedecer ao chamado de Deus! Em todo lugar, há necessidade e necessitados. É certo que seria mais fácil servirmos ao Senhor perto da nossa casa, dos nossos amigos e da nossa igreja, comunicando em nossa própria língua materna, mas decidimos ser obedientes. O preço é alto, mas foi para isso que Jesus chamou nossa família! Somos gratos a Deus porque fomos escolhidos para servir a outros povos que nem mesmo sonhávamos que existiam.
 
Hoje, sabemos os “porquês” de o Senhor ter nos trazido para a Albânia. Glória a Ele, pois muitos têm obedecido ao chamado de Deus para manter-nos e interceder por nossa vida e nosso ministério. Vocês, que fazem parte desse grupo, sintam-se abençoados, pois o Senhor os honrará. Primeiro, obedecemos e, depois, compreendemos!

Temos trabalhado muito – com crianças e adolescentes, mulheres, escola de futebol, apoio a jogadores de futebol profissionais, visitas e assistência social. Assistimos a uma população extremamente carente – aproximadamente cinco mil pessoas! As famílias não têm água e estão sem luz há oito meses. No local, há dezenas de crianças de diversas idades. A maioria delas não frequenta escola e não sabe ler nem escrever.

Fomos entregar alimentos e orar pelo povo, mas a situação é tão difícil que, por um momento, sentimo-nos incapazes e pensamos que somos uma gota d’água no oceano. Certamente, o que fazemos é pouco demais em meio a tantas dificuldades (oceano), mas, sem nosso trabalho (gota d’água), o oceano estaria mais vazio!

Em uma de nossas visitas, apenas duas pessoas não quiseram receber uma oração nem ouvir a Palavra, pois disseram que a fé que têm está firmada em outro deus e que não creem em Jesus Cristo. A mais de 20 famílias, porém, temos tido livre acesso para compartilhar e testemunhar o amor de Jesus. Glória a Deus!

As dificuldades raciais continuam, mas, hoje, vivemos melhor em meio a esse problema diário. Para eu (Shirley) ser atendida em algumas lojas, preciso cumprimentar as pessoas em inglês, para que elas saibam que sou estrangeira. Daí, as coisas mudam. As pessoas logo me perguntam de onde sou e, quando digo: “Sou do Brasil”, o tratamento muda. Algumas pessoas chegam a tocar em mim ou a querer abraçar-me ou beijar-me.

Outro dia, retornei a uma loja para levar uma amiga, que precisava comprar algo. A proprietária da loja e seu esposo são “mm”. Na primeira vez em que estive na loja, espantada, a proprietária me disse: “Quem é seu marido? Ele (apontando para o Daniel)? Como? Você é preta, e ele é muito bonito (kkk)!”. Não acreditei no que ouvi! Só ri e respondi: “Sim, ele é meu marido! No meu país, o casamento entre pessoas de raças diferentes é normal”.

É cada uma que parece duas (rsrsrs)! Meu rosto redondo, meus olhos grandes e minha pele morena indicam para os albaneses que sou rome e, aqui, a vida dos romeé difícil!

Orem por um projeto que temos desenvolvido para trabalhar com a autoestima das meninas albanesas morenas. Agora, conseguimos entender um pouco mais o coração delas. A maioria não estuda, pois é discriminada na escola. Ajudem-nos em oração, pois precisaremos de recursos financeiros para esse projeto.

Falem sobre nós para pessoas e igrejas que não nos conhecem, pois também temos tido lutas na área de finanças. A alta do euro tem afetado nosso sustento – nosso poder de compra caiu pela metade! Com isso, a cada dia, clamamos por milagres. É claro que eles têm acontecido, pois o Senhor é fiel, mas a situação é tensa, e pedimos socorro aos nossos parceiros. Orem por nós e nos ajudem a levantar mais recursos por meio de igrejas e irmãos que amam e compreendem missões. Podemos contar com vocês?

Quanto ao Danilo Miguel, orem conosco por mantenedores exclusivos para ele. Também orem pela chegada do Davi Mateus, pois precisamos organizar as coisas que farão parte do momento em que ele chegará – fevereiro (tempo de frio e neve). Orem pelo parto, pois ele nascerá aqui na Albânia. É impossível não nos lembrarmos de todas as bênçãos que vivemos na gravidez do Danilo Miguel, pois estávamos perto do nosso povo e de uma igreja amável em São Paulo. Ele teve três chás de bebê e recebeu uma oferta muito generosa de nossos irmãos de Juazeiro do Norte. Agora, estamos longe, mas vamos caminhar na fé de que Deus é um Pai que cuida – não importa onde estejamos. Ele é nosso provedor! Você pode dar sete glórias a Deus por nós?

Continuem a caminhar conosco nessa grande obra de Deus na Albânia. Não se esqueçam de nós! Intercedam por nós. Precisamos do apoio de vocês no cumprimento desse chamado. Orem pelos trabalhos com os meninos no futebol e pelo início do Kids Klub em Bathore. Abraços carinhosos cheios de saudosas lembranças.

Em Cristo,

Família Porto
Pastor Daniel, Tia Shirley e Danilo Miguel

Telefone Fixo 00 355 4452 4344
Celular: 00 355 69 600 6865
Skype: Família Porto – Albânia
E-mail: danielshirleyporto@hotmail.com
Blog: blogaodosqueridos.blogspot.com
 
Copyright © FAMÍLIA PORTO  All rights reserved.
 
Nosso endereço no Brasil é:

FAMÍLIA PORTO
Rua Bom Pastor, 300
Vale da Bênção
Araçariguama - SP
18.147-000

sair da lista de contatos de Família Porto   

*|IF:REWARDS|* *|HTML:REWARDS|* *|END:IF|*
 
Plantação de Igreja. Louvor e Discipulado.
Evangelizando as crianças de Bathore.
Voluntário como Professor de Futebol em uma escola da comunidade.
Ação Social e Evangelísmo